Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um blog mais ou menos fit

Este é apenas um espaço de partilha de algumas coisas do meu dia-a-dia, alimentação, desporto.... coisas mais ou menos fit :-)

Um blog mais ou menos fit

Este é apenas um espaço de partilha de algumas coisas do meu dia-a-dia, alimentação, desporto.... coisas mais ou menos fit :-)

Como ler um rotulo de um alimento #4

E depois dos macronutrientes existem ainda outras informações a ter em atenção nos rótulos, como é o caso do sódio. 

 

images (1).jpg

 O sódio é um mineral essencial ao bom funcionamento do organismo humano, mas em doses adequadas já que o seu consumo em excesso pode causar hipertensão, doenças cardiovasculares e renais, para além de favorecer a retenção de líquidos. A OMS recomenda uma ingestão máxima de 5,5 gramas de sal por dia.

 

São exemplos de alimentos ricos em sódio: sal de cozinha e de mesa, produtos de charcutaria, queijos salgados, alguns produtos enlatados, refeições pré-cozinhadas, molhos, caldos e extractos de carne de origem industrial, algumas águas engarrafadas e flocos de cereais, batata frita de pacote e produtos afins...

 

Do grupo de micronutrientes temos ainda as vitaminas e os minerais que são importantes em muitos processos metabólicos e por isso fundamentais numa alimentação equilibrada. Procurem por isso alimentos ricos em vitaminas e minerais.  

 

Resumindo algumas das informações que considero mais importantes a ter em conta na leitura de um rótulo:

  • confiram sempre a lista dos ingredientes tendo em conta que esta se encontra sempre por ordem decrescente, isto é, o produto que está em maior quantidade aparece sempre em primeiro lugar;
  • tenham em atenção que a informação nutricional de um alimento é geralmente com base em 100g de produto e que não responde ao produto inteiro, para saberem a quantidade de calorias e nutrientes que vão consumir terão que fazer os respectivos cálculos;
  • a percentagem do valores diários de referência (%VDR) são apenas valores indicativos e cada um de nós tem necessidades diárias diferentes
  • são de evitar os alimentos que tenham nos primeiros lugares gorduras, sal, açucares e idênticos (sacarose, frutose,dextrose, xarope de milho ou glucose) e farinha de trigo branca;
  • a dose diária recomendada de açúcar por dia pela OMS é de 25g, confiram sempre esta informação no rótulo, geralmente apresentada da seguinte forma: "hidratos de carbono: dos quais açucares...";
  • em termos de sal a OMS recomenda uma ingestão máxima de 5,5g por dia;
  • os hidratos de carbono são importantes na alimentação, mas cuidado com os excessos, prefiram as hidratos ricos em amidos e pobres em açucares dando preferência aos produtos integrais
  • prefiram hidratos que sejam ricos em fibras, com mais de 6g por cada 100g de produto, e mais 6 gramas de proteína por cada 100g;
  • atenção também à quantidade de lípidos (gorduras), procurem alimentos com baixo teor de gordura (inferiores a 10g por cada 100g de produto alimentar), sobretudo em gorduras saturadas, dando preferência às gorduras insaturadas (mono e polinsaturadas); 

 

Tenham também em atenção que algumas inscrições nos rótulos como “pobre em gordura”, “rico em fibra”, “baixo teor de sal”, “sem açúcar”, entre outras são muito comuns mas nem sempre conferem os benefícios indicados. Devemos por isso fazer a análise da informação nutricional e dos ingredientes do produto.

 

images (2).jpg

2 comentários

Comentar post